sábado, 11 de abril de 2009

ÁSPIDE



Mulher de lábios castos e fatais
Por quem me apaixonei perdidamente!
Recordo a tua voz, doce e silente,
Assim como o sibilo das corais.

O teu sorriso claro e comovente
Me fez te desejar ainda mais
No instante em que — delírios sensuais —
Provei o teu veneno amargo e quente.

Naqueles dias prenhes de alegria
Te dei o meu amor e o meu respeito
E junto ao coração eu te acolhia.

Contudo certa noite em nosso leito
Num gesto de paixão e covardia
Cravaste as tuas presas no meu peito!

Por REBELLIS - REVELIA, arte, sangue e morte

Um comentário:

Marlene disse...

Esse poeta é uma beleza! Agora Tigreza de fundo musical abalou! Só mesmo essa cabeça genial sua para materializar a imagem das palavras!!! Fantástico!
Beijos

Related Posts with Thumbnails